HomeTecnologiaCibersegurançaCrianças só navegam em desktop quando não existem aplicações móveis

Crianças só navegam em desktop quando não existem aplicações móveis

·       Crianças a nível mundial comunicam, jogam e têm acesso a conteúdos adultos em menor quantidade que há um ano, mas acedem a websites com informações sobre drogas, álcool e tabaco com mais frequência

·       Kaspersky divulga estudo que analisa comportamento online das crianças em todo o mundo, com base nas pesquisas detetadas pelo ‘Controlo Parental’

·       Mudança nos dispositivos utilizados é evidente: crianças só navegam em desktop quando não existem aplicações móveis ou quando os conteúdos são de mais fácil consumo em ecrãs maiores 

A Kaspersky Lab publicou um relatório sobre descobertas feitas em computadores utilizados por crianças. Entre outras coisas, é possível concluir que, em média, as crianças a nível mundial comunicam, jogam e têm acesso a conteúdos adultos em menor quantidade do que há um ano, mas acedem a websites com informações sobre drogas, álcool e tabaco com mais frequência. Estes temas são de particular interesse às crianças da América do Norte, Oceânia e Europa Ocidental.

O relatório, que abrange os 12 meses entre maio de 2016 e abril de 2017, mostra estatísticas anónimas das soluções da Kaspersky Lab para Windows e Macs com o Controlo Parental instalado, e apresenta dados de visitas ou tentativas de visitas a sites com conteúdo potencialmente perigoso, inseridos numa das setes categorias já pré-definidas*: comunicação online; álcool, tabaco, narcóticos; jogos de computador; software, áudio e vídeo; e-commerce; linguagem explícita; conteúdos para adultos.

As crianças acederam a plataformas de comunicação (como redes sociais, messengers ou e-mails) em 61% dos casos comparado com 67% nos 12 meses anteriores (maio de 2015 a abril de 2016). Os jogos caíram de 11% para 9% e os sites de conteúdos adultos representam agora 1.2% em vez de 1.5%. Paralelamente, acessos a páginas que contém informação sobre drogas, álcool e tabaco representam agora 14%, face aos 9% no ano anterior. O interesse em páginas com software, áudio e vídeo aumentou também: 6% vs. 3%.

doc icon 170810_Crianças-só-navegam-em-desktop-quando-não-existem-aplicações-móveis_PT.docx