HomeNotíciasGeralAdecco atenta ao impacto social das alterações no trabalho 

Adecco atenta ao impacto social das alterações no trabalho 

(Lisboa, 9 de agosto de 2018) – A configuração do mercado de trabalho e das relações laborais é uma realidade incontestável. O surgimento da tecnologia e, em particular, da economia de plataformas – onde as aplicações digitais conectam os trabalhadores aos empregadores – permite novas formas de trabalho e novas oportunidades. No entanto, também realça lacunas significativas no contrato social para o trabalho, o que exige uma intervenção por parte de todos os atores sociais na criação de uma nova estrutura social que abranja todos os tipos de trabalho.

O Grupo Adecco está bastante atento a esta realidade que sistematiza no relatório “Time to Act – Creating a new social contract for work in the 21st century”. Este documento caracteriza o atual panorama laboral a nível global e avança a posição da empresa líder de Recursos Humanos sobre quais pensa ser os próximos passos para assegurar a segurança e sustentabilidade de todas as formas de trabalho.

Este estudo refere que atualmente nos EUA e no Japão 42% dos profissionais não têm uma relação convencional de emprego a full-time com um empregador direto. estamos a falar de mais de 175 milhões de pessoas, apenas nestes dois países, que trabalham em part-time, trabalho temporário ou por conta própria. No entanto, apesar desta evidente alteração do mercado de trabalho, os modelos de proteção social não se têm vindo a alterar deixando uma larga fatia da população exposta à vulnerabilidade.

Carla Rebelo, Diretora Geral do Grupo Adecco em Portugal, salienta a importância de “envolver todos os quadrantes da sociedade na mudança de um paradigma de trabalho que não tem a flexibilidade suficiente para responder às necessidades da economia atual. É fundamental que as forças políticas, entidades reguladoras, entidades empregadores, trabalhadores e demais atores socioeconómicos reflitam e encontrem soluções para um mercado de trabalho mais sustentável e competitivo, gerando uma economia mais competitiva e saudável”.

Esta é aliás a visão do Grupo Adecco a nível global, que defende que o aparecimento de novas formas de trabalho ou setores económicos não devem pôr em causa os direitos sociais existentes. No que se refere ao trabalho em plataforma a empresa alerta em primeiro lugar para a necessidade da correta classificação da tipologia do trabalho, para uma relação transparente e com a correta aplicação de todos os direitos e responsabilidades de parte a parte.

Quando se trata de trabalho de plataforma, a classificação correta dos tipos de trabalho é fundamental. Se houver uma relação de emprego de fato entre uma plataforma e um trabalhador, ela deve ser definida e classificada como tal e todos os direitos e obrigações relevantes devem ser aplicados a ambas as partes.


DESCARREGAR INFORMAÇÃO

Tags