HomeNotíciasGeralINTRUM | Empresas portuguesas aceitam prazos de pagamento mais dilatados do que a média europeia

INTRUM | Empresas portuguesas aceitam prazos de pagamento mais dilatados do que a média europeia

White Paper 2018

Empresas portuguesas aceitam prazos de pagamento mais dilatados do que a média europeia

 

  • Planos de pagamento são comuns em todos os setores
  • Setor dos Transportes públicos paga em média a 79 dias

O EPR 2018 Industry White Paper, estudo da Intrum que tem como objetivo compreender o comportamento de pagamento e a saúde financeira das empresas, em diferentes setores de atividade, e de que forma os atrasos de pagamento afetam o seu desenvolvimento, revela que todas as indústrias são afetadas negativamente por estes atrasos.

Quando questionados sobre as principais causas dos atrasos de pagamento, 62% das empresas europeias apontam as dificuldades financeiras e 48% o atraso de pagamento intencional como principais causas, valores estes que decresceram relativamente ao ano passado que se situavam em 66% e 55% respetivamente.

Em Portugal, o Industry White Paper 2018 analisou 3 setores de atividade: Indústria, Comércio Grossista e Retalho e Transportes e Logística. De acordo com o estudo, em todos os setores (80%) as empresas foram convidadas a aceitar condições de pagamento mais dilatadas do que seria razoável, valor este bastante superior à média europeia que se fica pelos 59%. Para além disso, em todos os setores, 64% das empresas portuguesas já aceitaram prazos de pagamento mais dilatadas do que seria razoável, valor este superior à média europeia que atingiu os 56%.

O setor do Comércio Grossista e Retalho revela que os problemas financeiros (76%) são a principal causa de atraso de pagamento dos seus próprios clientes. Uma percentagem superior à média europeia, que atinge os 62%, ainda assim, inferior ao ano passado (93%).

A medida mais comum tomada neste setor quando as empresas são questionadas a aceitar prazos de pagamento mais longos é a oferta de planos de pagamento – mais de metade (52%) das empresas portuguesas oferece esta opção aos seus clientes, valor superior à média europeia com 31%.

No setor da Indústria, os inquiridos destacaram, também, que a principal causa de atraso de pagamento dos seus próprios clientes são os problemas financeiros (70%). Também neste setor as empresas portuguesas ultrapassam a média europeia, com 65%, embora inferior a 2017 (79%).

Este setor destaca-se pelo facto de 76% das empresas portuguesas inquiridas referir nunca ter enviado as suas faturas pendentes para uma empresa de recuperação de crédito e cobranças, número mais elevado do que a média europeia que apresenta 48%.

Mais de metade das empresas portuguesas (63%) afirma que os atrasos de pagamento têm um alto impacto na liquidez – mais uma vez, um valor bastante superior à média europeia que apresenta uma percentagem de apenas 22%.

Já o setor dos Transportes e Logística tem sido muito afetado com os atrasos de pagamento, uma vez que, em média, os consumidores têm 25 dias de prazo de pagamento e pagam após 41 dias. As empresas negoceiam o pagamento para 49 dias, mas pagam após 65 dias. No setor público os atrasos neste setor são ainda mais alargados com o prazo de pagamento fixado nos 50 dias, mas que em média atinge os 79 dias para pagar. 

Para Luis Salvaterra, Diretor Geral da Intrum “O impacto dos pagamentos em atraso está a diminuir lentamente, em comparação com os números do ano passado. Apesar de algumas empresas estarem a melhorar a sua capacidade de lidar com esta prática, as consequências dos atrasos nos pagamentos continuam a ser um problema. Em 2018 ainda temos cerca de 20% das empresas a afirmar que o pagamento mais rápido de devedores permitiria contratar mais funcionários. Uma situação que invalida a criação de mais emprego”.

 

 

Sobre a Intrum

A Intrum é a empresa líder na indústria de Serviços de Gestão de Crédito, com presença em 24 mercados na Europa. A Intrum oferece um vasto leque de serviços, incluindo a compra de créditos, tendo como missão melhorar o cash flow e a rentabilidade a longo prazo dos clientes e garantir que pessoas e empresas recebem o apoio que necessitam para não terem dívidas. A Intrum tem mais de 8.000 profissionais experientes que atendem cerca de 80.000 empresas em toda a Europa. Em 2017, a empresa gerou receitas estimadas no valor de 1.269 milhões de euros. A Intrum tem a sua sede em Estocolmo, Suécia, e está cotada na bolsa Nasdaq de Estocolmo. Em Portugal desde 1997, a Intrum tem mais de 220 colaboradores.

Para mais informações, por favor visite www.intrum.com

 

 

Sobre o EPR Industry White Paper

O EPR 2018 Industry White Paper da Intrum revela como a saúde da economia Europeia é afetada pelas indústrias que combatem a falta de pagamento e dívidas que prejudicam o crescimento de negócio, inovação e desenvolvimento tecnológico e a criação de emprego. A diferença significativa na perda de dívida e o desrespeito pelos termos de pagamento sofrido pelos diferentes setores da indústria a nível europeu é destacado neste White Paper.