HomeActualidadeEmpresaSound Particles: a “arriscar” desde 2016

Sound Particles: a “arriscar” desde 2016

Sound Particles: a “arriscar” desde 2016

 

 

  • Criada em 2016, a empresa, que tem sede em Leiria, conta já com dez pessoas a trabalhar, centenas de clientes e o reconhecimento da industria cinematográfica mundial.
  • Sound Particles é o nome do software que aplica ao som o mesmo conceito que os softwares de animação 3D.
  • Participação na 8ª Edição do Arrisca C na categoria de Plano de Negócio, no qual arrecadou uma menção honrosa.

                                                 

 

Foi em 2016 que Nuno Fonseca submeteu o projeto Sound Particles ao concurso Arrisca C, através do qual, já na  altura, demontrava ter uma visão bem clara sobre o futuro do áudio na industria do entretenimento. Uma certeza mas que lhe valeu  o voto de confiança da Indico Capital Partners que acaba deinvestir  400 mil euros de capital de risco na empresa portuguesa.

 

A Sound Particles torna-se, assim, a primeira participada conhecida do fundo Indico Capital Partners, que tem uma capitalização de €46 milhões, para identificar, investir e capitalizar as startups ibéricas mais promissoras na área tecnológica, investindo entre €150 mil e €5 milhões em cada projeto nas fases iniciais de desenvolvimento e por um período até dez anos. Nuno Fonseca, fundador e diretor executivo da Sound Particles, garante que o investimento “permitirá acelerar o desenvolvimento de novos produtos, de forma a deixarmos de ser um produto de nicho de mercado”.

 

A participação na 8ª Edição do Arrisca C, na categoria de Plano de Negócio, não lhe valeu o primeiro prémio mas arrecadou uma menção honrosa e, desde então, não tem parado de somar prémios e nomeações que têm levado a empresa a destacar-se no mercado. A empresa  desenvolveu o Doppler+Air, produto que foi nomeado para os prémios da Cinema Audio Society  (Associação de misturadores de som de Hollywood), na categoria de “Outstanding Product”, cuja cerimónia de entrega de prémios está marcada para 16 de fevereiro em Los Angeles, não esquecendo que em 2018 foi finalista dos prémios científicos dos Óscares.


Dirigido a profissionais de som, o Sound Particles permite aos utilizadores criarem produções sonoras, atribuindo sons diferentes a milhares de partículas, que podem ser distribuídas por um espaço tridimensional. Foi concebido para cenas em que múltiplos sons se cruzam, como tempestades, batalhas medievais e corridas de naves, o que é razão para que tenha sido utilizada em 40 filmes norte-americanos como o Aquaman, Carros 3, Batman versus SuperHomem, A Múmia, Wonder Woman, Liga da Justiça, Ready Player One ou Dia da Independência 2.

 

Para o fundador da Sound Particles  “a equipa tem uma visão clara sobre o futuro do áudio na industria do entretenimento (cinema, TV, videojogos VR), onde o nosso software atual é apenas a ponta do iceberg”. Foi exatamente essa a visão que o levou a participar na 8ª edição do Arrisca C com um Plano de Negócio para potenciar” a criação de software único e disruptivo para pós produção áudio;  continuar a apostar no desenvolvimento de algo único; continuar a sua divulgação pelo mercado em questão (eventos, relações com associações de profissionais, comunicação social especializada, etc.) e apostar na criação de um Plug-in específico de Doppler, podendo transformar-se no primeiro ponto de contacto com muitos profissionais”.

 

Sobre o Arrisca C

Mais do que apoiar a criação de empresas, o ‘Arrisca C’ disponibiliza, através dos seus parceiros e patrocinadores, importantes ferramentas que permitem assegurar a longevidade das empresas enquanto o motores de criação de emprego e de criação de valor económico e social.

O concurso ‘Arrisca C’ é um dos mais ambiciosos programas na área do empreendedorismo e inovação nacional e já distribuiu, em prémios, um total de cerca de 820 mil euros e recebeu mais de 700 projetos candidatos, envolvendo mais de dois mil promotores e mais de 25 empresas criadas.