HomeActualidadeEmpresaCasca de arroz em betão leve: Uma solução para uma construção sustentável

Casca de arroz em betão leve: Uma solução para uma construção sustentável

INOV C 2020 – BOLSAS DE IGNIÇÃO

 

 

Casca de arroz em betão leve: Uma solução para uma construção sustentável

 

 

 

  • Investigadores do Itecons estudam soluções pré-fabricadas de betão leve produzido a partir de casca de arroz
  • A introdução de casca de arroz no betão permite reduzir custos e aumentar a sustentabilidade deste tipo de soluções construtivas
  • O projeto foi contemplado com uma das 15 Bolsas de Ignição financiadas pelo INOV C 2020, um projeto suportado por fundos do FEDER que pretende alavancar ideias de empreendedorismo e inovação na região centro

 

Melhorar a sustentabilidade do setor da construção através do desenvolvimento de elementos pré-fabricados em betão leve, integrando na sua constituição casca do arroz, é objetivo de uma equipa de investigadores do Itecons – Instituto de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico para a Construção, Energia, Ambiente e Sustentabilidade, da Universidade de Coimbra.

Como explica João Almeida do Itecons, «o betão é um dos materiais de construção mais utilizados. No entanto, a sua produção tem impactes ambientais significativos, relacionados com a extração de matérias-primas, consumo de energia e emissões de CO2. Este projeto procura, assim, tirar partido da incorporação de subprodutos da atividade agrícola do Baixo Mondego, definindo novas soluções construtivas de elevado desempenho e sustentabilidade, tais como painéis de revestimento de fachadas, barreiras acústicas e outros elementos de arquitetura urbana».

Segundo a equipa de investigação a aplicação deste tipo de elementos na pré-fabricação permitirá não só reduzir custos, como também aumentar a sustentabilidade deste tipo de soluções construtivas. «O conceito de sustentabilidade aplicado ao setor da construção tem estimulado o desenvolvimento de novos materiais a partir de resíduos e de outros recursos naturais renováveis, permitindo, desta forma, responder às exigências da arquitetura moderna e da construção sustentável», acrescenta.

Devido às suas características funcionais e elevada durabilidade, o betão é um dos materiais de construção mais utilizados. No entanto, a sua produção tem impactes ambientais significativos. Nos últimos anos é possível encontrar vários estudos que procuraram atenuar estes impactes, através da incorporação de resíduos e do desenvolvimento de soluções pré-fabricadas. Neste sentido a equipa de investigadores acredita que a utilização de subprodutos agrícolas da região do Baixo Mondego, como é o caso da casca de arroz, pode oferecer importantes vantagens, não só na criação de um elemento destinado à construção sustentável, como também para a economia local.

«A incorporação deste subproduto em materiais de construção irá contribuir para potenciar a capacidade económica da região centro, ao mesmo tempo que disponibiliza alternativas ambientalmente viáveis para a utilização da casca de arroz. Considerando o elevado volume de betão que continua a ser produzido anualmente, a incorporação deste tipo de resíduos e o desenvolvimento de soluções pré-fabricadas podem contribuir para melhorar a sustentabilidade global dos produtos».

 

 

Sobre a Itecons

O Itecons é uma associação privada sem fins lucrativos, que integra mais de 60 entidades ligadas ao tecido empresarial, municípios e outras instituições, funcionando como interface dinâmica de transferência e valorização do conhecimento gerado na Universidade de Coimbra.

O Itecons atua em diferentes áreas dos sectores da construção, da energia e do ambiente, nomeadamente pela disponibilização de um diversificado conjunto de serviços, dos quais se destacam a realização de uma vasta gama de ensaios acreditados pelo IPAC, a realização de peritagens técnicas e prestação de serviços de consultoria, formação direcionada para os intervenientes no sector da construção e desenvolvimento de projetos de investigação.

Destaca-se, ainda, o reconhecimento do Itecons como CIT – Centro de Interface Tecnológico na promoção da inovação e na capacitação do tecido empresarial.

 

INOV C 2020 apoia projetos inovadores em Portugal

Do consórcio INOV C 2020, liderado pela Universidade de Coimbra, fazem parte dez parceiros nucleares: o Instituto Politécnico de Coimbra, o Instituto Politécnico de Leiria, o Instituto Politécnico de Tomar, o Instituto Pedro Nunes, o Itecons, o SerQ, a ABAP, a Obitec e o TagusValley. 

O INOV C 2020 é um projeto cofinanciado pelo Centro 2020, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), com um prazo de execução compreendido entre 18 de abril de 2017 e 17 de abril de 2019. Os parceiros executarão um investimento total de 1.627.614€, sendo o montante de 1.383.472€ financiado pelo FEDER.

O objetivo do projeto INOV C 2020 é consolidar a Região Centro enquanto referência nacional na criação de produtos e serviços resultantes de atividades de Investigação & Desenvolvimento. A consolidação do Ecossistema de Inovação, através da incorporação de uma oferta ampla de recursos, infraestruturas e respostas a desafios específicos, faz também parte da sua missão. O INOV C 2020 segue-se ao Programa Estratégico INOV C, executado entre 2010 e 2015.

 


Tags