HomeActualidadeEmpresaTransitários têm confiança no futuro: resultados da 1.ª Edição do Barómetro APAT

Transitários têm confiança no futuro: resultados da 1.ª Edição do Barómetro APAT

Resultados da 1.ª Edição do Barómetro APAT

Transitários têm confiança no futuro

 

Lisboa, 19 de março de 2019 – Dois terços dos transitários a operar em Portugal têm uma perspetiva boa ou muito boa em relação aos próximos três anos do setor dos transportes e mais de metade vai aumentar o investimento na zona de Lisboa, nos próximos doze meses. Estas são as principais conclusões do 1.º Barómetro da Associação de Transitários de Portugal (APAT) que inquiriu os seus 260 associados, que dão emprego a mais de sete mil pessoas e movimentam, anualmente, 2 mil milhões de euros.

 

“Estamos muito satisfeitos com os resultados do inquérito, que mostra que as empresas associadas, mesmo tendo pela frente inúmeros desafios, têm uma mentalidade positiva e vão investir mais este ano” afirma António Nabo Martins, Presidente Executivo da APAT, representante em Portugal dos transitários, agentes responsáveis por fazer a mediação nas operações de transporte internacional de todos os modos de transporte de mercadorias, marítimo, aéreo, ferroviário ou rodoviário e por organizar a ligação entre os vários players da cadeia.

 

A atividade enfrenta grandes desafios, mas isso não significa que os participantes não tenham uma perspetiva positiva para os próximos 3 anos, revelando um ambiente de confiança relativamente à atividade, evidenciado pela vontade de manter ou inclusivamente aumentar o nível de investimento pelos associados. Um dado curioso, apesar de não dever ter uma leitura isolada, revela que os residentes em Lisboa terão maior apetência para aumentar o nível de investimento futuro. Algo que pode tão somente significar que a atividade tem características próprias, muito distintas entre Lisboa e Porto. Outro dado, algo contrastante, tem que ver com as respostas sobre a falta de aposta na atividade transitária, opinião esta que, quando cruzada com o nível de investimento futuro, não aparenta fazer sentido.

Esta é uma das grandes missões da APAT, a de acompanhar os seus associados, pelos caminhos de futuro. A configuração pode mudar de alguma forma, mas o conteúdo vai manter-se. As pessoas de todo o mundo vão continuar a precisar de mercadorias”, seja como matéria prima ou como produto acabado conclui António Nabo Martins.

 

O 1.º Barómetro APAT foi promovido pela APAT, IPAM, Grounded e Transportes em Revista e contou com 123 respostas válidas, recolhidas em janeiro e fevereiro de 2019. A segunda edição está prevista para setembro deste ano, prevendo-se um aumento no número de questões e no número de associados impactados.