HomeActualidadeBoas práticas nas empresas: as cinco etapas dos estágios

Boas práticas nas empresas: as cinco etapas dos estágios

 

 

 

Lisboa, 23 de maio de 2019 – Os estágios são uma parte da fundamental da formação profissional, de acordo com as boas práticas no setor de Recursos Humanos, divulgadas pela Adecco. Testados ao longo do tempo, com sucesso, continuam a ganhar uma nova vida à medida que os empregadores procuram melhores formas de captar e reter o talento.

No nosso mercado os estágios são comumente usados pelas empresas, recorrendo estas muitas vezes a programas estatais, lançados por organismos, e como forma de comparticipação e retribuição, à empresa e ao estagiário.

Na Suíça, por exemplo, a realidade é diferente da nossa, e 70% dos estudantes do ensino secundário começam estágios profissionais em áreas tais como TI, serviços bancários, serviços de saúde, hotelaria e indústria. Após a sua conclusão, são oferecidos cargos a tempo inteiro à maior parte destes estagiários, nas empresas que patrocinaram os estágios profissionais. Já nos EUA, os estágios profissionais estão a ganhar força uma vez que este país enfrenta escassez de trabalhadores qualificados e as empresas procuram formas de preparar a sua mão-de-obra para o futuro.

Para a Adecco, e de acordo com Alain Dehaze, CEO do The Adecco Group, a necessidade de abordagens estilo-estágio, podem ajudar a preparar os jovens trabalhadores para o crescente papel que a Inteligência Artificial (AI) assume hoje no mundo. De acordo com a Adecco, existem boas práticas que levam ao crescimento das empresas, potenciando a visão dos mais jovens com a experiência e conhecimentos profissionais dos mais velhos.

A Adecco defende como boas práticas, cinco etapas pelas quais um programa de estágio deveria evoluir, de forma simples e motivando os jovens e ajudando as empresas a melhor recebê-los e retê-los:

  1. Envolvimento direto nos negócios, com o empregador a coordenar ativamente, através de um plano de estágio definido e a pensar na progressão e evolução do estagiário, com base nos objetivos da empresa
  2. Formação prática no posto de trabalho com um mentor ou coordenador de estágio
  3. Formação teórica da empresa e regras, que complementa a formação prática no posto de trabalho
  4. Recompensas financeiras ou outras, que podem ser progressivas, à medida que as competências aumentam
  5. Conclusão que resulta numa avaliação quantitativa e qualitativa de estágio

Os estágios são realmente uma vitória para o empregador e para o funcionário. O funcionário aprende competências valiosas e duradouras enquanto recebe uma recompensa financeira durante o período de estágio. Enquanto isso, os empregadores conseguem um funcionário qualificado que pode, ao longo do tempo, servir como mentor para treinar outros.

Os estágios podem ter uma reputação antiga, mas oferecem uma nova esperança e uma oportunidade de desenvolver uma mão-de-obra laboral válida, e para o futuro.