HomeActualidadeA importância do bem-estar no trabalho no sucesso das empresas

A importância do bem-estar no trabalho no sucesso das empresas

 

Spring Professional sublinha a importância da qualidade de vida no trabalho realçando que este é um problema sério que deve estar na agenda das direções gerais das empresas.

 

 

O local de trabalho
Um dos pontos a considerar dentro do bem-estar no trabalho e na sua base é, de acordo com a Spring Professional, os espaços de trabalho. A Spring alerta que a maioria dos locais de trabalho não estão adaptados às necessidades dos seus utilizadores – os colaboradores das empresas. Alguns dos pontos chave para melhorar o bem-estar e eficiência no trabalho passam, acima de tudo, pela organização do tempo e do espaço de trabalho. Hoje, em Portugal algumas formas de trabalhar estão a reajustar-se com a entrada de muitas empresas, acima de tudo tecnológicas, que integram diferentes culturas no seu tecido de recursos humanos, e que inovam para alcançarem maiores níveis de rentabilidade. O teletrabalho é cada vez mais uma solução assim como o escritório flexível, onde os colaboradores têm a oportunidade de escolher o seu espaço de trabalho quando chegam pela manhã, aumentando assim quer a produtividade, quer a criatividade e a flexibilidade.

Um campo de acção delicado
Mas não é apenas o layout do espaço que colabora para o bem-estar no trabalho embora esteja na sua base; os serviços também estão a entrar na cultura das empresas. Essa tendência é um sintoma de uma revolução mais profunda na gestão corporativa. Não é raro, empresas de todas as dimensões oferecem aulas de ioga, sessões de osteopatia, áreas de descanso, de jogos, babysitting, serviços de limpeza, e de refeições, entre outros.

Formação dos gestores
Contudo, nada disto acontece sem que a direção das empresas, os gestores, o apliquem. No final, após a fase de “melhoria das condições de trabalho”, a base do bem-estar está na qualidade da gestão. Os funcionários em primeiro lugar, depois os clientes começa a ser um slogan usado por alguns dos gestores mais modernos. Nenhuma eficiência coletiva (e, portanto, nenhum lucro) ocorre sem funcionários bem-sucedidos.